WhatsApp

FALE CONOSCO
PELO WHATSAPP

FIQUE POR DENTRO

FIQUE POR DENTRO
Pessoa planejamento a sua reserva de emergência

SAIBA COMO PLANEJAR SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA EM 4 PASSOS

Vendas abaixo da projeção esperada, um defeito mecânico impactou na diminuição da sua produção, uma crise econômica que reduziu os rendimentos nos negócios, e aí?  O que você, gestor, faz para enfrentar essas situações?

Bom, você pode sugerir uma redução de custos, e caso necessário, efetuar empréstimos bancários, e é aqui que mora o perigo. Empréstimos bancários podem auxiliar a sua empresa a sair da crise em um primeiro momento, porém, ao final você também adquire uma nova dívida devido aos juros associados.

Muito se fala sobre fazer previsões de situações desfavoráveis, ou análises de riscos durante o desenvolvimento do planejamento estratégico de seu negócio. No entanto, ainda sim estamos a mercê dos imprevistos.

Estas situações não têm dia ou hora para acontecer, por isso, sua empresa deve estar preparada para superar os imprevistos com os menores danos possíveis. Por isso, o seu negócio necessita de uma reserva de emergência.

Se você ainda não criou a sua reserva de emergência ou não sabe como fazer, preparamos um artigo que irá te auxiliar no planejamento da sua reserva em 4 passos. 

O que é uma reserva de emergência? 

A reserva de emergência é um fundo com recursos exclusivos para as situações não esperadas. Ou seja, a função principal da reserva de emergência é garantir a segurança financeira durante emergências, evitando que haja grandes impactos na sua organização.

Esta estratégia deve ser aplicada em todas as empresas independente de seu tamanho, complexidade ou atuação. Isso porque, nunca sabemos o que a próxima emergência vai exigir de nossa organização. 

Por que ter uma reserva de emergência? 

No início do artigo trouxemos alguns exemplos de imprevistos que podem afetar seus negócios, mas podemos listar outros como a falta de capital de giro, perda de clientes, e até mesmo, demissões 

Assim, a reserva de emergência permite à sua empresa: 

  • Manutenção da saúde financeira em tempos de crise
  • Maior facilidade em superar situações inesperadas
  • Mantém estoques abastecidos
  • Mantém o fluxo de caixa e capital de giro 
  • Pagamento das obrigações da empresa
  • Evita a necessidade de empréstimos bancários

Além dos casos de como sua empresa pode se beneficiar de uma reserva de emergência em momentos de crise, esta também pode ser utilizada para projetos que vão auxiliar no crescimento do seu negócio. Logo, oportunidades de crescimento, compra de equipamentos e novos investimentos que apresentem caráter de urgência. 

Podemos citar como um exemplo o investimento em e-commerce durante a pandemia do COVID-19, onde as lojas foram obrigadas a mudar para um sistema online para garantir sua sobrevivência.

Como planejar sua reserva de emergência? 

Agora que você já sabe que a melhor saída para imprevistos em sua empresa é a reserva de emergência, vamos ver os 4 passos para planejar a sua! 

  1. Determinando o tamanho da reversa de emergência

Para respondermos essa pergunta, primeiramente é preciso olhar para o planejamento financeiro da sua empresa. Isso porque, a reserva de emergência deve ser calculada  com base nos custos mensais de funcionamento do negócio (salários, aluguel, matéria-prima, custos de manutenção e outros). 

Por quanto tempo essa reserva ser planejada é uma característica de cada empresa, mas uma reserva de emergência que possa sustentar seu negócio durante 6 a 12 meses de crise é o ideal. Ou seja, se a sua empresa tem um custo de funcionamento mensal médio de R$5.000, a sua reserva deve ser em torno de 30 a 60 mil reais. 

  1. Planejando a criação da reserva de emergência

O próximo passo é determinar de onde virá o recurso que irá compor a reserva de emergência. Assim, a palavra-chave desta etapa é a disciplina, você pode criar estratégias para direcionar periodicamente parte dos lucros para a reserva de emergência.

Mas para te ajudar nisso, realize o planejamento financeiro de forma cuidadosa, mantenha uma gestão financeira eficaz e monitore de perto os índices financeiros de seu negócio. Se você ainda tem alguma dúvida de como analisar e melhorar seus índices financeiros, confira o nosso artigo sobre o tema. 

  1. Aplicando em investimentos

Em seguida, está na hora de decidir onde esses recursos serão investidos. Ressaltamos que o objetivo da reserva de emergência é trazer segurança para a sua empresa, então é totalmente desaconselhável aplicá-lo em investimentos de alto risco. Logo você deve investir em algum investimento que apresente elevada liquidez e baixa volatilidade. 

O melhor local é aquele que possibilita proteger os recursos da variação da inflação e possa ser convertido em dinheiro rapidamente. Atualmente a poupança não está sendo a melhor alternativa para os empresários, mas você ainda pode contar com os investimentos no tesouro SELIC,  CDBs com liquidez diária e vários outros.

  1. Atualize sempre que necessário

A reserva de emergência é um fator personalizável das empresas sendo feita para garantir segurança frente a imprevistos no futuro se baseando nas suas necessidades no presente.

No entanto, você não pode olhar para essa reserva como algo estático, ou seja, não pode esperar que uma reserva com uma quantidade X de recursos há 5 anos vá suprir as necessidades atuais do seu negócio que é 3X. 

Desta forma, o tamanho da reserva de emergência sempre deve ser atualizado após mudanças na sua empresa, em especial após o seu crescimento, ou alterações bruscas no mercado financeiro. 

Conclusão 

Chegamos ao fim de mais um artigo e esperamos que você esteja convencido a construir sua reserva de emergência. 

Situações de emergência exigem muito de uma empresa e seus funcionários, portanto, ter uma base que lhe ofereça proteção financeira nesse período é fundamental para a sobrevivência e a recuperação da sua organização. 

Trouxemos 4 passos para guiar na criação da sua reserva financeira. Aqui sugerimos uma reserva que possa garantir segurança para sua empresa por no mínimo seis meses, porém isto irá depender muito das características de cada negócio. Por exemplo, se você costuma ter uma grande variação nos gastos variáveis, você pode adicionar sempre uma margem extra na sua reserva. 

Mas lembre-se, o mais importante é manter estes recursos em um investimento seguro que permita a retirada imediata, a intenção aqui não é gerar um grande retorno financeiro. 

Então, não espere o pior chegar! Crie a sua reserva emergencial agora. 

ANTERIORPRÓXIMA