WhatsApp

FALE CONOSCO
PELO WHATSAPP

FIQUE POR DENTRO

FIQUE POR DENTRO
Negócio com processos industriais

COMO A OTIMIZAÇÃO DOS PROCESSOS INDUSTRIAIS É FEITA? DESCUBRA AGORA

Reduzir custos, elevar margem de lucro, eliminar desperdícios, aumentar produtividade, garantir qualidade dos produtos… avanços que qualquer negócio deseja atingir de maneira contínua, especialmente aqueles que possuem processos industriais.

É fato que atingir tudo isso é um desafio muito grande e são poucas as empresas que estão determinadas a otimizar sua operação da maneira correta, o que torna aquelas que investem nisso organizações diferenciadas no mercado. 

A base para a grande parte das mudanças que as organizações desejam alcançar está na otimização de processos, e em especial os processos produtivos.

Quando se fala de indústria, esse processo de otimização é ainda mais desafiador por se tratar de uma estrutura que opera de maneira muito complexa, com diversos recursos, operadores, processos e produtos envolvidos.

Nas indústrias existem muitas variáveis para se atentar quando se precisa fazer análises e mudanças, que é o que a otimização de processos industriais pede. 

Por isso, mesmo solicitando muita dedicação dos que estão envolvidos na otimização de processos, ela é muito vantajosa para as organizações que se dedicam de fato a atingir melhorias na sua produção. 

Quais são os objetivos e as vantagens da otimização de processos nas indústrias?

Como já comentado acima, a otimização de processos industriais visa atingir melhorias em diversos níveis e áreas de negócio. Por mais que atue diretamente em cima dos processos produtivos, seus benefícios podem permear todos os outros setores da empresa. 

Esse horizonte faz com que tal otimização possa ser realizada com diversos objetivos, o importante é que se tenha bem claro quais são essas metas que se deseja alcançar a partir da melhoria dos processos industriais.

A determinação dos principais objetivos da otimização irá guiar todo o processo de planejamento e execução das análises e mudanças para que tal otimização cumpra com as metas estabelecidas.

Entre os diversos objetivos, e vantagens também, da otimização dos processos industriais, tem-se: 

  • Redução de desperdícios;
  • Controle mais assertivo de informações;
  • Manutenção da qualidade dos produtos;
  • Melhor integração de processos;
  • Aumento de produtividade e lucro.

Como fazer a otimização de processos industriais? 

Não difere muito da otimização de processos tradicional. Aqui o que muda é os aspectos que se deve prestar atenção na hora da otimização e a dimensão das mudanças que são proporcionadas.

#01. Alinhar expectativas inicias e planejar

Antes de começar o processo de otimização é preciso ter muito bem definido o que se deseja com as melhorias que virão.

É claro que a otimização traz diversos benefícios, mas é muito necessário ter claro quais são os mais desejados. Dessa forma, as análises e as melhorias podem ser feitas com esses focos em especial, o que ajudará no atingimento dos resultados esperados.

Além disso, o planejamento de quem irá fazer o trabalho e como ele será realizado é algo muito necessário também e pode ser tratado como um projeto, com prazos, objetivos finais, equipe, etc.

Isso ajudará a fazer com que o trabalho seja realizado de maneira ordenada e os resultados atingidos de forma satisfatória a partir dos processos industriais.

#02. Listar e relacionar os processos

É nesse momento que serão listados quais processos serão mapeados e como eles se relacionam entre si, de qual setor cada um faz parte e diversos outros aspectos.

É aqui que entra a gestão por processos, pois ela vai ajudar a entender como se comporta a parte processual da operação da indústria.

#3. Estudar e mapear os processos

Talvez essa seja a etapa mais demorada e complexa da otimização. Nela é necessário identificar como ocorre cada um dos processos que foram listados na fase anterior e, para isso, é preciso entender diversos pontos. Os principais são:

  • O que inicia o processo;
  • Quem são os responsáveis ou setores envolvidos no processo;
  • Quais insumos e máquinas são usadas no processo;
  • Quais são as etapas que são realizadas no processo;
  • Quais falhas ou problemas podem ocorrer naquele processo;
  • Qual o produto ou resultado final do processo.

Com isso, as informações colhidas devem ser dispostas de alguma forma para que seja possível visualizar da melhor maneira o processo, o que normalmente é feito por meio de fluxograma de processo.

Também é interessante entender a visão dos envolvidos na operação sobre os processos pelos quais são responsáveis, isso ajudará a compreender fatores com um olhar humano e que não necessariamente vão ser identificados no mapeamento inicial.

Não só isso, quando se trata de processos industriais é muito provável que a empresa possua diversas informações acerca de cada operação: indicadores, relatórios de desempenho e histórico de ocorrências.

#04. Identificar falhas e oportunidades nos processos

Tendo em mão todas as informações comentadas acima, é hora de estudar o processo industrial. Aqui é o momento o qual reúne um grupo para analisar criticamente a operação.

O ideal é que esse processo de análise englobe não só especialistas em processos (como consultores externos) mas também os próprios operadores e líderes do setor, eles poderão dar ótimas visões.

Essa mobilização tem como objetivo identificar falhas, gargalos, desperdícios e oportunidades de melhoria nos processos. Ou seja: entender quais aspectos poderiam ser diferentes no processo para atingir os objetivos desejados e otimizá-lo.

#05. Desenvolver melhorias

Por último, é preciso desenvolver melhorias em cima das oportunidades visualizadas na etapa anterior. Muitas organizações fazem isso seguindo bases do lean manufacturing, que traz conceitos muito válidos para esse tipo de processo.

Isso pode envolver infinitos aspectos: troca, retirada ou adição de alguma etapa do processo; mudança de responsável ou insumos usados; mudança de ferramentas utilizadas no processo; treinamentos para funcionários etc.

Para essa etapa, os processos industriais pedem uma atenção maior pois mudanças na operação de uma indústria possuem uma grande dimensão e podem ser muito custosas, por isso é bom  estudar bem as possibilidades antes de realizar a mudança na realidade.

Além disso, é preciso abrir os olhos para as tecnologias que podem ser usadas, como autotomização de processos, softwares de gestão e máquinas inovadoras. Tudo isso faz parte da evolução do mercado industrial.

#06. Implementar e acompanhar

Por último, é preciso documentar as mudanças realizadas e apresentá-las para os envolvidos nos processo para que elas ocorram da maneira ideal. Contudo, a otimização não termina por aqui.

Literalmente, o termo otimizar traz a ideia de tornar ótimo, ou seja: atingir a melhor configuração de algo. Contudo, isso não é alcançado de primeira com frequência na melhoria de processos.

Para se chegar na melhor versão de um processo é possível utilizar softwares robustos e que demandam de muitas informações e investimentos muito altos, por isso não é algo tão usado.

Mas por outro lado, o conceito de melhoria contínua é algo que está na realidade de diversas empresas que acompanham o desempenho dos processos industriais e os resultados das melhorias aplicadas neles diariamente. 

Isso faz com que a otimização seja uma processo contínuo e que se esteja sempre aberto para enxergar uma nova e melhor forma de executar as atividades, aumentando a produtividades, reduzindo desperdícios e custos, melhorando o produto final, etc.

A Insper Jr. pode ajudar sua empresa a otimizar seus processos industriais. Quer entender como? Entre em contato conosco!

ANTERIORPRÓXIMA